Com ágio de 132%, Estado de SP realiza concessão do Zoológico e Jardim Botânico

'O projeto de concessão prevê novos investimentos focados na melhoria de serviços e, consequentemente, na experiência dos usuários nesses locais', analisa o diretor-presidente do Semeia

  • Data: 24/02/2021 16:02
  • Alterado: 24/02/2021 16:02
  • Autor: Redação
  • Fonte: Instituto Semeia
Com ágio de 132%

Crédito:Governo do Estado de São Paulo

Você está em:

Em sessão pública ocorrida na tarde de ontem, 23/02, o Estado de São Paulo realizou o recebimento e a abertura de propostas para a concessão do Zoológico e Jardim Botânico. A melhor proposta da licitação foi feita pelo Consórcio Reserva Paulista, que apresentou uma oferta de R$ 111 milhões – valor que é 132% maior que o lance mínimo previsto pelo edital, de R$ 48 milhões. A concorrência contou com mais uma proposta no valor de R$ 82 milhões, realizada pelo Consórcio Cataratas do Iguaçu SA.  

Na prática, o vencedor da licitação será responsável pelas atividades de manejo, educação ambiental, fomento à pesquisa, modernização dos espaços e melhoria na qualidade de serviços de recreação, lazer, cultura, operação da infraestrutura, entre outras iniciativas. A concessão será de 30 anos e o governo prevê investimentos de R$ 290,4 milhões ao longo do contrato, sendo R$ 180,5 milhões nos primeiros cinco anos.

Ainda vale lembrar que a adoção do modelo de concessão não transfere a propriedade dos espaços à empresa vencedora da licitação. As unidades de conservação continuarão sob a responsabilidade do Governo do Estado durante o prazo da concessão. 

“Essa licitação é um passo importante para o Estado de São Paulo avançar em seu programa de parcerias que, além do Zoológico e do Jardim Botânico, envolve também parques e unidades de conservação. Vale destacar que o projeto foi bem avaliado pelo mercado, uma vez que houve competição e o pagamento de um elevado valor de outorga ao poder público”, avalia o diretor-presidente do Semeia, Fernando Pieroni.

 Pieroni ainda reforça os benefícios que a adoção desse modelo pode oferecer a essas áreas, destinos de lazer e entretenimento de paulistas e turistas que visitam São Paulo: “O projeto de concessão prevê novos investimentos focados na melhoria de serviços e, consequentemente, na experiência dos usuários nesses locais. Além disso, o contrato prevê aportes que irão ajudar ainda mais nas ações de conservação e manutenção da biodiversidade existente nesses espaços”, conclui o diretor-presidente.  

Sobre o Zoológico e o Jardim Botânico de São Paulo

Fundado em 1958, o Zoológico de São Paulo abriga mais de dois mil animais, incluindo espécies nativas da Mata Atlântica, sendo um dos maiores zoológicos da América Latina e uma das principais atrações de lazer e de fomento à educação ambiental na cidade. Somente em 2019, o local recebeu mais de um milhão de visitantes.

 Por sua vez, o Jardim Botânico foi criado em 1928 e abriga uma diversidade de fauna e flora, inclusive de espécies ameaçadas de extinção, sendo um dos ambientes procurados por pesquisadores, observadores de aves e pessoas interessadas em roteiros de natureza na cidade. Em 2019, o local recebeu mais de 133 mil visitantes.

Compartilhar:










Copyright © 2023 - Portal ABC do ABC - Todos os direitos reservados