ABC Saúde

Ataque de cão ou gato: saiba como agir caso isso aconteça

Algumas atitudes dos humanos podem incomodar animais de estimação, que reagem de acordo com os seus instintos de defesa, mordendo ou arranhado as pessoas

  • Data: 24/04/2023 09:04
  • Alterado: 24/04/2023 09:04
  • Autor: Redação
  • Fonte: Prefeitura de São Paulo
Ataque de cão ou gato: saiba como agir caso isso aconteça

Crédito:Reprodução

Cães e gatos são fofos, brincalhões e carinhosos, mas podem ter comportamentos agressivos quando provocados e incomodados. Os animais, em geral, podem interpretar algumas atitudes como provocativas, segundo os seus instintos de defesa, e a forma que têm para demonstrar que não estão gostando é morder ou arranhar.

Mexer com cães não conhecidos, soltos na rua ou presos atrás de portões e muros, por exemplo, pode ser perigoso. Faz parte do instinto do animal proteger o território onde está, seja dentro de casa, em um terreno ou solto na rua. O mesmo vale ao chegar perto daqueles que estão presos em guias.

Tocar ou acordar de forma inesperada um cão ou gato que esteja dormindo, fazer movimentos rápidos e de forma inesperada, passar a mão quando estão se alimentando ou em regiões do corpo que os incomodam, mexer nos objetos do animal, gritar ou deixá-los expostos a barulhos muito fortes (rojões e bombas) podem gerar, também, reações agressivas.

Por isso, há algumas regras básicas para se evitar acidentes e respeitar o espaço e o comportamento dos animais.

Identificando sinais de irritação dos animais

Os animais apresentam características comuns quando estão irritados e prontos para atacar. O cachorro, normalmente, late ou rosna, mostra os dentes, os pelos da nuca e as costas ficam arrepiados, as orelhas são mantidas abaixadas e para trás; a postura se torna rígida/firme, os membros mantidos afastados e as costas encurvado. Ao atacar, ele salta, sacode a cabeça e morde e segura com a boca qualquer objeto.

Já o gato, quando está irritado, dobra as orelhas para trás, balança a cauda, arrepia os pelos da coluna, rosna, abre a boca e fazendo sons agudos (sibilo); também pode se encolher e depois pular, estica as costas em arco, na forma de um U invertido para parecer maior. No entanto, sempre que possível, o gato tende a fugir em situações de confronto com humanos.

Evitando ataques

Caso um animal se aproxime, se não for possível evitá-lo, permaneça imóvel, proteja a cabeça, o rosto e o pescoço, encobrindo-os com as mãos e braços. Nunca olhe diretamente para o animal. Acontecendo o ataque, proteja as áreas recomendadas, sem gritar, nem se mover. Nunca corra ou grite, nestes casos tente permanecer totalmente parado.

Se a queda ao chão for inevitável, fique em posição fetal, isto significa deitar lateralmente com as pernas dobradas e os joelhos recolhidos próximos encostados ou próximos ao peito, com as mãos protegendo o pescoço, e mantenha-se imóvel, sem gritar, até obter ajuda. Provavelmente o cão não morderá se a pessoa ficar totalmente parada.

Saber identificar o animal mordedor é importante para que o acidente não volte a acontecer, para isso é indicado que se tome essas medidas:

– Prestar atenção nas características do animal, observe o tamanho, sexo, raça, tipo do pelo (cor, cumprimento: longo, curto e etc.) e idade aproximada;

– Procurar identificar e localizar o animal, saber se tem dono ou cuidador para obter informações sobre o local onde vive e sua condição de saúde. Solicite ao proprietário que observe o animal por 10 dias seguidos e acompanhe a evolução do animal;

– Se durante o período de observação o animal adoecer, morrer, desaparecer ou mudar de comportamento, procure imediatamente o serviço de saúde;

– Caso seja um animal desconhecido e sua observação impossível, relate o ocorrido ao procurar o serviço de Saúde.

Como cuidar de possíveis machucados

No caso de mordida ou arranhado de cão ou gato, é necessário lavar com água corrente e sabão o local atingido, pois micro-organismos causadores de doenças presentes na boca ou unhas desse animal entram para o corpo humano. Fazendo a limpeza adequada, o risco de infecção diminui.

Procure orientação médica na Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima a sua casa.

Compartilhar:

  • Data: 24/04/2023 09:04
  • Alterado: 24/04/2023 09:04
  • Redação
  • Prefeitura de São Paulo









Copyright © 2023 - Portal ABC do ABC - Todos os direitos reservados