Diadema Cidade

Projeto em Diadema incentiva hortas em residências

É o Horta em Casa, que oferece formação gratuita e promove a alimentação saudável. Mais de 71 moradores já fizeram o curso

  • Data: 21/02/2024 22:02
  • Alterado: 21/02/2024 22:02
  • Autor: Redação
  • Fonte: PMD/Iara Santos Luz
regina-horta-na-cozinha

Crédito:André Baldini/PMD

Plantar as próprias verduras e temperos, saber utilizar quintais e pequenos espaços para cultivo e incentivar o consumo da alimentação saudável, estes são os principais propósitos do Projeto Horta em Casa, que a Prefeitura de Diadema oferece, gratuitamente, aos moradores da cidade.

Desde que a iniciativa municipal começou a funcionar, em agosto de 2022, mais de 71 munícipes fizeram o curso agroecológico, organizado pela Secretaria Municipal de Segurança Alimentar.  A formação é ministrada em oito encontros, com as aulas acontecendo duas vezes por semana.

Durante a formação, os participantes aprendem sobre técnicas de plantio, tipos de solos, processo de adubação e controle de pragas. Também é ensinado como fazer a compostagem orgânica, a irrigação, e como cuidar de uma horta agroecológica, onde não se aplica nenhum tipo de agrotóxico.

Outra questão abordada é como implantar as hortas em espaços menores. Além do cultivo em faixas de terras e pequenos quintais, usando a criatividade, pode-se montar canteiros verticais em lajes e jiraus e, horizontais, em vasos, floreiras e calhas. É ensinado, ainda, que materiais recicláveis podem ser utilizados para fazer plantio. Entre eles: garrafas pets, pedaços de telhões e estrados de madeiras, também conhecidos como paletes

No decorrer do curso os participantes são incentivados a fazer as próprias hortas, em suas residências, e muitos deles, ao concluir o aprendizado, já estão com os canteiros prontos e semeados.

Foi o que aconteceu com a bancária aposentada Regina Montanari, que integrou a última turma de 17 alunos, a receber a certificação em dezembro passado.  

Ela já tinha plantas em casa, mas não sabia tratar bem delas. “Eu acabava abreviando a vida das plantinhas porque não sabia regar direito e não fazia a manutenção no tempo certo. Agora, tomei gosto em cuidar de plantas e está sendo muito bom”, revela a moradora do Canhema, que também faz marmitas fitness para ter uma renda extra no final do mês.

Regina aproveitou a descoberta da nova habilidade para espalhar plantas ornamentais, temperos e ervas medicinais em vários cantos da sua casa. Na garagem ela fez uma plantação suspensa, com vasos de cerâmica, fixados em estruturas de madeira, e na cozinha, bem perto da pia, ela montou um cultivo de ervas aromáticas que utiliza na própria comida.

“Quando estou mexendo na terra, cuidando das minhas plantinhas, eu esqueça totalmente dos problemas. Ter planta em casa representa vida, representa afeto. E como é prazeroso usar os temperos que você mesmo plantou!”, ressalta a munícipes.  

Novas turmas – E se depender da Secretaria Municipal de Segurança Alimentar, mais 40 moradores de Diadema frequentarão o curso ofertado pelo Projeto Horta em Casa. Uma turma já está fazendo a formação na Associação Comunitária de Todos Nós – Morro do Samba e Beira Rio, no bairro Serraria, e outra, nos próximos dias começa a frequentar as aulas na cozinha didática do Restaurante Popular Campanário João Carlos Alves, no bairro Campanário.

“O Projeto Horta em Casa é uma das ações do Programa Agricultura Urbana que incentiva diversos tipos de plantio em Diadema. A cidade conta com outros tipos de hortas, como as comunitárias, as escolares que visa a educação ambiental, e as ocupacionais que são cuidadas por atendidos no serviço de saúde mental da Prefeitura. No caso da Horta em Casa, além de ajudar no combate à fome, o Projeto mostra para os moradores da nossa cidade que eles podem plantar as próprias hortaliças e praticar o consumo saudável, fazendo economia”, declara o secretário da SESA, Gel Antônio.  

Compartilhar:

  • Data: 21/02/2024 10:02
  • Alterado: 21/02/2024 10:02
  • Redação
  • PMD/Iara Santos Luz









Copyright © 2023 - Portal ABC do ABC - Todos os direitos reservados