Tarcísio diz que contrato com a Enel ‘não pode ficar do jeito que está’

"Não dá simplesmente para prorrogar o contrato com uma empresa que não corresponde, que não faz o investimento", afirmou o governador de São Paulo

  • Data: 31/01/2024 15:01
  • Alterado: 31/01/2024 15:01
  • Autor: Redação
  • Fonte: UOL/Folhapress
enel-2

Enel

Crédito:Divulgação

Você está em:

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), disse nesta quarta-feira (31) ter falado com o governo federal para não prorrogar o contrato de concessão de distribuição de energia com a Enel.

“Do jeito que está não dá para ficar”, comentou Tarcísio. Ele disse ter conversado nesta terça (30), em Brasília, com o ministério da Casa Civil de Rui Costa, e alertado “dos riscos de ter uma prorrogação com essa concessionária”.

“Não dá simplesmente para prorrogar o contrato com uma empresa que não corresponde, que não faz o investimento”, falou ele em entrevista coletiva. O acordo de concessão com a Enel vai até 2028.

Governador disse que um processo para extinguir a parceria não chegaria ao fim antes do prazo previsto na assinatura. “O processo é longo, leva dois, três anos. Vai praticamente coincidir com o término do contrato. O que é importante é garantir que aqui a gente vai ter uma nova licitação, de alguém que esteja disposto a fazer o investimento […], o que não está sendo o caso da Enel nesta terça-feira (31)”.

Enel deixou milhões sem energia após chuvas no ano passado. Em novembro, 2,1 milhões de endereços ficaram sem luz por até sete dias depois de um temporal. A empresa é responsável por distribuir energia elétrica para 24 municípios paulistas, incluindo a capital.

Empresa foi alvo de CPI na Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) no ano passado. O relatório final dos deputados recomendou o fim do contrato, indiciamento dos executivos e intervenção na empresa.

Compartilhar:

  • Data: 31/01/2024 03:01
  • Alterado: 31/01/2024 03:01
  • Autor: Redação
  • Fonte: UOL/Folhapress









Copyright © 2023 - Portal ABC do ABC - Todos os direitos reservados