São Paulo Saúde

Por que é importante redobrar a atenção com possíveis alterações da voz em crianças?

Especialista do Hospital Paulista explica causas para rouquidão infantil, além de cuidados e formas de tratamento

  • Data: 28/12/2023 09:12
  • Alterado: 28/12/2023 09:12
  • Autor: Redação
  • Fonte: Hospital Paulista de Otorrinolaringologia
criancas

Crédito:Valter Campanato/ABr Agência Brasil

Muitos ainda consideram a rouquidão infantil um sintoma temporário e sem importância, geralmente associado à infecção ou ao abuso vocal. Mas é importante redobrar a atenção com possíveis alterações da voz em crianças, porque elas podem servir de alerta para doenças mais graves.

Conforme o otorrinolaringologista Dr. Domingos Tsuji, responsável pelo diagnóstico de patologias de laringe no Hospital Paulista, a rouquidão em crianças, na maioria das vezes, está mesmo relacionada ao mau uso da voz, sendo benigna e desaparecendo espontaneamente. No entanto, segundo o médico, se o quadro persistir por mais de 3 semanas, um especialista deve ser procurado.

“A mudança da voz é causada por alterações nas cordas vocais que impedem seu funcionamento normal. As causas mais frequentes são a cordite, ou inflamação nas cordas vocais, e a presença de nódulos ou calos vocais, explica o especialista.

Vale destacar que, quando inspiramos, o ar passa pelo nariz, faringe, laringe e traqueia, até chegar aos pulmões. Na expiração, segue o caminho inverso. Durante a fala, o ar expirado passa através das cordas vocais, fazendo-as vibrar. Essa vibração produz um som fundamental que sofre as influências dos movimentos da faringe, da  língua, do véu palatino e dos lábios, formando a voz.

“Seu mau uso pode provocar irritação inflamatória nas cordas vocais. Quando prolongada, a inflamação pode evoluir e se organizar, formando lesões persistentes como os nódulos vocais, e causar alterações permanentes na voz”, complementa o Dr. Domingos.

Entre as causas da rouquidão em crianças, estão, ainda, as infecções de via aérea superior, como gripes e resfriados; alterações estruturais mínimas da laringe e outras malformações congênitas, desenvolvidas ao nascimento; doenças neurológicas e tumores benignos, como o papiloma causado pelo vírus HPV; e, por fim, os tumores malignos, como o câncer de laringe. Esse último é muito mais raro em crianças do que em adultos.

Diagnóstico e tratamento

A laringoscopia é o exame que permite a avaliação das cordas vocais e ajuda a identificar a causa do problema.

Dr. Domingos explica que, em todos os pacientes, a redução da carga vocal  é necessária durante o tratamento, além de uma hidratação adequada.

De acordo com o especialista, no entanto, o tratamento específico vai variar de acordo com a causa da rouquidão. As opções terapêuticas são escolhidas baseadas em evidências científicas e podem ser clínicas (com fonoterapia e medicamentos), cirúrgicas ou uma combinação das duas.

Os fonoaudiólogos são grandes parceiros dos otorrinolaringologistas nesse sentido. “A fonoterapia, quando bem indicada, é muito eficaz e se configura como peça-chave no tratamento da maioria das causas de rouquidão”, reitera o médico.

Prevenção

Entre as diversas dicas para preservar a saúde da voz e evitar a rouquidão (tanto em crianças como nos adultos), estão evitar cometer abusos como gritar e falar alto, não conversar em locais com muito barulho e ambientes poluídos ou com fumaça de cigarro.

“Hábitos saudáveis como optar por uma alimentação balanceada e manter uma boa qualidade de sono, além da hidratação oral, são formas de prevenir a rouquidão. Em ambientes com ar-condicionado, os cuidados precisam ser redobrados, com o aumento do consumo de água para evitar o ressecamento da laringe”, finaliza o Dr. Domingos.

Compartilhar:

  • Data: 28/12/2023 09:12
  • Alterado: 28/12/2023 09:12
  • Autor: Redação
  • Fonte: Hospital Paulista de Otorrinolaringologia









Copyright © 2023 - Portal ABC do ABC - Todos os direitos reservados