Mais de 70% das empresas brasileiras não possuem certificação ambiental ou social

Entidade defende criação de normas sobre ESG para mudar esse cenário e indica outros regulamentos que podem auxiliar as empresas a se preparar para a sustentabilidade

  • Data: 17/05/2024 15:05
  • Alterado: 17/05/2024 15:05
  • Autor: Redação
  • Fonte: Abrac
Rede de varejo beneficia o meio ambiente com várias iniciativas de sustentabilidade

Crédito:Divulgação

Você está em:

A pesquisa divulgada pela CNN Brasil, realizada pela consultoria de inovação Tec Institute em parceria com a MIT Tech Review Brasil, aponta que 75% das empresas brasileiras não possuem nenhum tipo de certificação relacionada à sustentabilidade ou ESG – Environmental, Social, and Governance (Ambiental, Social e Governança, em português).

A Associação Brasileira de Avaliação da Conformidade (Abrac) criou a vice-presidência de ESG para, junto com entidades regulatórias e organismos de certificação, colaborar com o aprimoramento do sistema de infraestrutura da qualidade com foco na elaboração de regulamentos e normas certificáveis nas três esferas abordadas pela sigla ESG. “A Abrac entende que nem tudo precisa ser uma certificação compulsória, mas o tema ESG é urgente, pois mais do que uma exigência mercadológica, traz benefícios ambientais e condições de trabalho cada vez mais justas e inclusivas”, explica Alexandre Xavier, vice-presidente de ESG da Abrac.

O vice-presidente da Associação informa que, mesmo sem uma certificação específica sobre o tema, algumas normas abrem caminho para a implementação dos pilares ESG dentro das organizações, como a ISO 9001 – Sistema de Gestão da Qualidade. “São estabelecidos requisitos como análise de não conformidades e de dados, além de revisões pela alta direção da organização, proporcionando uma sólida preparação para adotar e integrar os princípios ESG”, explica Alexandre Xavier.

Com foco no meio ambiente, a ISO 14001 – Sistema de Gestão Ambiental – auxilia na mitigação de impactos negativos, como emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE). Assim como a ISO 9001, ela possibilita a melhoria contínua e segue o ciclo PDCA (Plan, Do, Check, Act) – planejar, fazer, checar e agir, em português. Isso permite identificar pontos fracos dentro de uma organização e traçar planos para melhorias necessárias ou evoluir a partir de resultados já positivos.

“É importante destacar que há diversas outras normas e certificações também para referência nos três pilares ESG – Ambiental, Social e Governança. A ISO 9001 e a 14001 são algumas delas”, completa o vice-presidente de ESG da Abrac.

ABNT PR 2030

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) desenvolveu a Prática Recomendada 2030, que aborda diretrizes para implementação de práticas ESG.

O número 2030 faz referência à Agenda 2030, um plano de ação adotado pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 2015. Os 17 objetivos traçados para o ano de 2030 visam erradicar a pobreza, garantir a igualdade de gênero, assegurar o acesso à educação, promover a saúde, combater as mudanças climáticas, entre outros temas. “Mesmo não sendo uma norma certificável, a PR 2030 direciona organizações que não sabem por onde começar a implementação dos pilares ESG”, conclui o vice-presidente de ESG da Abrac.

Compartilhar:

  • Data: 17/05/2024 03:05
  • Alterado: 17/05/2024 03:05
  • Autor: Redação
  • Fonte: Abrac









Copyright © 2023 - Portal ABC do ABC - Todos os direitos reservados