Brasil - Mundo Política

Bolsonaro chama de ‘nebuloso’ julgamento do TSE que o tornou inelegível

Em discurso em Anápolis (GO), ex-presidente criticou processo que o condenou por abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação

  • Data: 22/07/2023 18:07
  • Alterado: 22/07/2023 18:07
  • Autor: Redação ABCdoABC
  • Fonte: Estadão Conteúdo
Bolsonaro chama de ‘nebuloso’ julgamento do TSE que o tornou inelegível

Ex-presidente Jair Bolsonaro

Crédito:Antonio Cruz/Agência Brasil

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou em discurso nesta sexta-feira, 21, que o julgamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que o tornou inelegível por oito anos ocorreu “de forma bastante nebulosa”. Bolsonaro foi condenado por abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação, por ter transmitido pela TV Brasil uma reunião com embaixadores na qual divulgou informações falsas sobre o sistema eleitoral.

O ex-presidente discursou após receber a medalha de comendador da cidade de Anápolis, em Goiás. Ele foi ovacionado pela plateia que o recebeu aos gritos de “mito”. À primeira menção ao Supremo Tribunal Federal (STF) no discurso, o público vaiou. Depois de citar o STF, Bolsonaro criticou o julgamento do TSE.

“Se eu nada representasse para nossa pátria, depois daqueles números do TSE, não estariam me perseguindo até hoje”, disse. “Não teriam, de forma bastante nebulosa, me tornado inelegível. Qual o crime? Corrupção não foi. Abuso de poder econômico não foi. O sistema não quer uma pessoa honesta na Presidência da República”.

No julgamento que tornou o ex-presidente inelegível, o TSE considerou, segundo o voto do relator, que Bolsonaro usou o poder do cargo para espalhar informações falsas sobre o sistema eletrônico de votação, na tentativa de ter ganhos eleitorais, atacar o Tribunal Superior Eleitoral e fazer “ameaças veladas”. Para o TSE, a conduta do ex-chefe do Executivo impactou diretamente o pleito. O presidente da Corte, Alexandre de Moraes declarou ainda que houve desvio de finalidade, já que a reunião do ex-presidente com os embaixadores teria servido para sua autopromoção como candidato e para atacar o sistema eleitoral.

Bolsonaro fez várias críticas ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a quem se referia como o “outro cara”. Ele disse que “aconteceu algo inacreditável em outubro do ano passado”, em referência à eleição do petista. Em outro trecho da fala, Bolsonaro afirmou que “deixou” Lula assumir a Presidência. Antes da posse, o ex-presidente viajou para os Estados Unidos, de onde voltou apenas em março.

“Entreguei o Brasil… ou melhor, deixei outro cara assumir. Porque jamais passaria a faixa para uma pessoa com passado. Jamais passaria faixa para uma pessoa que tinha e tem um passado como esse cara que assumiu em 1º de janeiro”, discursou.

Ao final do discurso, Bolsonaro garantiu que voltaria à Presidência. “Foi uma missão do todo poderoso esses meus quatro anos de presidente. Se assim for vontade dele, tenho certeza que nós voltaremos. Enquanto não voltamos, estaremos colaborando e contribuindo para com a boa política brasileira”, concluiu.

O ex-presidente recebeu a comenda Gomes de Souza Ramos, em cerimônia que celebrou os 116 anos de Anápolis. Outras 34 pessoas foram homenageadas.

Compartilhar:

  • Data: 22/07/2023 06:07
  • Alterado: 22/07/2023 06:07
  • Autor: Redação ABCdoABC
  • Fonte: Estadão Conteúdo









Copyright © 2023 - Portal ABC do ABC - Todos os direitos reservados