Teste do Volkswagen ID.4 – Exemplar de assinante

Disponível há um ano somente pelo sistema de assinatura Sign&Drive, o elétrico Volkswagen ID.4 ainda é raridade nas ruas brasileiras

  • Data: 02/07/2024 10:07
  • Alterado: 02/07/2024 10:07
  • Autor: Redação
  • Fonte: Luiz Humberto Monteiro Pereira AutoMotrix
volkswagen-id4

Com potência de 204 cavalos e torque de 31,6 kgfm, o motor elétrico do ID.4 é instalado sobre o eixo traseiro

Crédito:Luiza Kreitlon/AutoMotrix

Você está em:

O ID.4 chegou ao Brasil há um ano, em julho de 2023, mas não foi colocado à venda. O primeiro modelo 100% elétrico da Volkswagen no mercado nacional foi disponibilizado apenas pelo sistema de assinatura Sign&Drive. Como outros programas de assinatura de veículos, o da marca alemã oferece benefícios como assistência vinte e quatro horas, documentações, garantias, gestão de multas e manutenção preventiva inclusa. No lançamento do ID.4 no Brasil, o cliente precisava desembolsar R$ 9.990 por mês para levar o SUV em um contrato de 24 meses e franquia de mil e quinhentos quilômetros. Ao fim do contrato, não há a opção de comprar o carro. Como a demanda ficou abaixo do esperado, a Volkswagen resolveu melhorar a oferta. Desde fevereiro deste ano, nos contratos de 24 meses, assinar o ID.4 passou a custar R$ 6.990 mensais (para rodar até 1.500 quilômetros por mês). Há ainda opções de assinar para dois mil quilômetros por mês, pagando R$ 8.490 mensais, ou para 2.500 quilômetros por mês por R$ 8.890 mensais, sempre para períodos de 24 meses. 

Para quem já havia adquirido a assinatura do ID.4, os contratos foram atualizados com o valor da mensalidade reduzido – a diferença paga a mais nas faturas anteriores foi abatida a partir de abril. O fato é que, apesar da redução no valor, assinar o SUV elétrico da Volkswagen continua a ser uma opção ao alcance de poucos – é um automóvel bem difícil de se encontrar nas ruas brasileiras. A hipótese de que, futuramente, o ID.4 venha a ser vendido no Brasil não é confirmada nem descartada pela marca alemã. 

Construído sobre a plataforma MEB, o ID.4 é disponibilizado pelo Sign&Drive somente na versão Pro Performance, uma configuração intermediária, equipada com motor no eixo traseiro e tração traseira – a versão “top” GTX 4Motion, disponível na Europa e nos Estados Unidos, traz dois motores, um em cada eixo, portanto, com tração integral. O estilo da carroceria é robusto, com linha de cintura elevada e facilmente identificável como um Volkswagen, privilegiando formas mais suaves. De perfil, chamam a atenção as impressionantes rodas de 21 polegadas – com pneus 225/45 na dianteira e 255/40 na traseira –, posicionadas nos limites da carroceria. A opção pelos balanços curtos ajuda a ampliar o espaço entre-eixos – que tem 2,76 metros e é maior em comparação aos SUVs médios concorrentes. Já as demais dimensões estão dentro do segmento: 4,58 metros de comprimento, 1,85 metro de largura e 1,61 metro de altura. Um acabamento prateado, da coluna dianteira até a traseira, passando sobre as portas, aumenta a percepção de leveza. Na frente e atrás, além dos emblemas redondos da marca alemã, o destaque visual fica por conta dos faróis e das lanternas com tecnologia IQ.Light Matrix com Light Bar, com elementos internos bem distintos. O ID.4 vem em duas opções de cores: Azul Dusk (a do modelo testado) e Cinza Moonstone, ambas com teto na cor Preto Piano.

Qualquer Volkswagen com motor atrás e tração traseira sempre evocará uma “referência ancestral” ao Fusca – um compacto que, às vésperas da Segunda Guerra Mundial, tornou-se o primeiro modelo da marca alemã. A mesma configuração foi repetida no segundo Volkswagen mais famoso: a Kombi. Mas as referências ao passado se restringem a isso, já que o ID.4 é um veículo moderno – com soluções originais e tecnologias futuristas. A seleção das marchas é feita em um seletor posicionado em uma haste atrás do volante. O painel de instrumentos digital de 5,3 polegadas de estilo flutuante disponibiliza somente as informações mais relevantes, como velocidade, modos de condução e autonomia. Boa parte dos ajustes são acessíveis apenas pela tela sensível ao toque do multimídia. Entre eles, o Memory Park Assist Plus, que permite gravar trajetos curtos para que o carro possa repeti-los autonomamente até estacionar sozinho.

Com potência de 204 cavalos e torque de 31,6 kgfm, o motor elétrico do ID.4 é instalado sobre o eixo traseiro, enquanto a bateria de 77 kW fica no assoalho. Ela oferece sistema de recarga rápida e é capaz de completar até 80% da carga em 40 minutos, em um carregador DC (150 kW). A autonomia é de 370 quilômetros no ciclo PBEV (do Inmetro). Caso o assinante do ID.4 decidir ter um carregador elétrico em casa, um modelo da Greenv é oferecido aos usuários do Sign&Drive para locação por 24 meses, por R$ 599 mensais. Também é disponibilizado para compra, por R$ 7.649. 

Em termos de segurança, o ID.4 traz sete airbags, câmera 360 graus com vista pela central multimídia, ACC (controle de cruzeiro adaptativo) mais frenagem autônoma de emergência e função stop&go, Turn Assist (assistente de conversão transversal) e Side Assist, que mantém o veículo na faixa de forma ativa. “Mordomias” como abertura e fechamento elétricos da tampa do porta-malas, iluminação interna em leds com 30 opções de cores e teto panorâmico de vidro reforçam a habitabilidade. 

Experiência a bordo

Singularidades tecnológicas

No ID.4, os bancos frontais ergoActive, com acabamento em alcântara, são bastante confortáveis, contam com ajustes elétricos, funções memória, aquecimento e massagem. Na traseira, embora o espaço seja amplo, o passageiro do meio convive com um encosto ressaltado – atrás dele, fica uma portinhola que dá acesso ao compartimento de bagagens. A fita de leds que percorre todo o painel usa diferentes pulsos para “interagir” com o motorista – sinaliza se o carro está pronto para ser dirigido ou se a bateria está sendo carregada. A central multimídia tem tela de 10 polegadas e conexão sem fio para Apple CarPlay e Android Auto. Há carregador de celular por indução, ar-condicionado AirCare Climatronic Touch de três zonas e quatro portas USB-C. O acabamento interno é de qualidade e há harmonia de cores e texturas. O teto panorâmico de vidro é fixo, com cortina. E o porta-malas leva bons 543 litros.

O console central ajustável é prático, mas a proposta de eliminar o máximo de botões complica funções que deveriam ser simples. Há concentração de informações no multimídia, e acionar os comandos “touch” no multimídia e no volante pode ser complicado com o carro em movimento. No lado do motorista, os comandos de abertura das portas e dos vidros contam com duas teclas apenas – é necessário acionar previamente um seletor “Rear” para indicar se pretende comandar as janelas das portas da frente ou das de trás. Regular a temperatura do ar-condicionado também é mais complicado que o necessário, pela “economia” de botões. O sistema de estacionamento autônomo Park-assist é eficiente, no entanto, requer algum tempo de aprendizado. 

Impressões ao dirigir

Harmonia futurista

Até existe um botão de partida no ID.4, mas ele é supérfluo. Com a chave a bordo, basta pisar no pedal do freio para que o SUV elétrico esteja pronto para rodar – e o carro desliga sozinho quando o motorista aperta o “P” nos comandos do painel de funções, que fica em uma haste atrás do volante. Uma vez em movimento, o torque (instantâneo, como em qualquer elétrico) é farto. Basta pisar no acelerador para ter os 31,6 kgfm disponíveis. O comportamento dinâmico do ID.4 não chega a ser tão exuberante quanto o de outros elétricos mais “forçudos” – o ID.4 acelera de zero a 100 km/h em 8,5 segundos e chega à velocidade máxima de 160 km/h (limitada eletronicamente). Variando entre os modos “Eco”, “Confort” e “Sport”, é possível de se perceber que o carro evolui na capacidade de acelerar mais rapidamente. Na estrada, os 204 cavalos dão conta de mover as mais de duas toneladas do SUV se dificuldades. Ultrapassar parece ser sempre fácil – e o baixo nível de ruído a bordo reforça tal impressão.

A força do motor elétrico aplicada às rodas traseiras torna a dinâmica do ID.4 mais agradável e mais divertida do que nos elétricos com tração frontal. Como recebem mais torque devido à tração do motor, os pneus traseiros são mais largos. A suspensão bem calibrada e o centro de gravidade baixo gerados pelas baterias no assoalho reforçam a estabilidade em trechos sinuosos e reduzem as oscilações em pisos irregulares – amenizando dois problemas corriqueiros nos SUVs, com suas carrocerias altas e suspensões normalmente mais “molengas”. As tecnologias disponibilizadas no ID.4 ajudam a tornar a convivência agradável. O sistema de recuperação máxima de energia atua como um suave freio-motor – basta parar de acelerar que o carro perde velocidade de forma gradual e confortável. O assistente de condução ativo permite manter uma distância pré-programada do veículo à frente, inclusive parando e retomando a marcha quando possível. O assistente de manutenção de faixa é eficaz e o controle adaptativo de suspensão (DCC) adapta o sistema suspensivo de acordo com modo de condução e terreno. A autonomia pode superar os 370 quilômetros previstos pelo Inmetro. Dirigindo de forma econômica, dá para passar dos 400 quilômetros sem preocupações com recargas. 

Ficha técnica

Volkswagen ID.4

Motor: elétrico síncrono posicionado na traseira

Potência: 204 cavalos 

Torque: 31,6 kgfm

Baterias: íons de lítio, 77 kWh

Autonomia:  370 km (Inmetro)

Tração: traseira

Direção: elétrica

Carroceria: SUV médio de quatro portas para 5 pessoas

Dimensões: 4,58 metros de comprimento, 1,85 metro de largura, 1,61 metro de altura e 2,76 metros de entre-eixos 

Peso: 2.142 quilos

Porta-malas: 543 litros

Suspensão: MacPherson na dianteira e independente multibraços na traseira, ambas com molas helicoidais

Freios: disco ventilado na dianteira e tambor na traseira                      

Pneus: 225/45 R21 na dianteira e 255/40 na traseira

Preços: Disponível somente para assinatura, por R$ 6.990 mensais (para rodar até 1.500 quilômetros/mês), R$ 8.490 mensais, (para até 2 mil quilômetros/mês) ou R$ 8.890 mensais (para 2.500 quilômetros/mês), para contratos de 24 meses.

Compartilhar:
1
Crédito:Luiza Kreitlon/AutoMotrix
1
Crédito:Luiza Kreitlon/AutoMotrix
1
Crédito:Luiza Kreitlon/AutoMotrix
1
Crédito:Luiza Kreitlon/AutoMotrix
1
Crédito:Luiza Kreitlon/AutoMotrix
1
Crédito:Luiza Kreitlon/AutoMotrix
1
Crédito:Luiza Kreitlon/AutoMotrix
1
Crédito:Luiza Kreitlon/AutoMotrix
1
Crédito:Luiza Kreitlon/AutoMotrix

  • Data: 02/07/2024 10:07
  • Alterado: 02/07/2024 10:07
  • Autor: Redação
  • Fonte: Luiz Humberto Monteiro Pereira AutoMotrix









Copyright © 2023 - Portal ABC do ABC - Todos os direitos reservados