Seul diz que Coreia do Norte fez 3º lançamento de mísseis em uma semana

Lançamento seguiu os testes de 24 e 28 de janeiro do míssil de cruzeiro Pulhwasal-3-31, que a Coreia do Norte afirma ser projetado para ser lançado a partir de submarinos

  • Data: 30/01/2024 12:01
  • Alterado: 30/01/2024 12:01
  • Autor: Redação
  • Fonte: Estadão Conteúdo
missel-coreia-do-norte

Crédito:Reprodução/YouTube

Você está em:

A Coreia do Norte lançou múltiplos mísseis de cruzeiro em águas ao largo de sua costa oeste na terça-feira, 30, em seu terceiro lançamento desse tipo de arma neste mês, informou o exército sul-coreano, enquanto o Norte continua a exibir seu crescente arsenal de armas projetadas para superar as defesas de seus rivais.

O Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul afirmou que os militares sul-coreanos e norte-americanos estavam analisando os lançamentos, que foram detectados por volta das 7 horas. Não forneceram mais detalhes, incluindo o número de mísseis lançados a distância que percorreram e se foram lançados por terra ou mar.

O lançamento aconteceu após os testes de 24 de janeiro e 28 de janeiro do míssil de cruzeiro Pulhwasal-3-31, que a Coreia do Norte afirma ser projetado para ser lançado a partir de submarinos.

Após o segundo lançamento, o ditador norte-coreano, Kim Jong Un, reiterou seu objetivo de construir uma marinha nuclear para enfrentar o que ele descreveu como crescentes ameaças externas. Ainda não está claro se o lançamento na água no domingo foi realizado a partir de um submarino real ou de uma balsa subaquática.

Desenvolvimento de armas

As tensões na Península Coreana estão no ponto mais alto em anos depois que Kim acelerou seu desenvolvimento de armas a um ritmo sem precedentes, emitindo ameaças nucleares provocativas contra os Estados Unidos, Coreia do Sul e Japão.

Em resposta, os Estados Unidos e seus aliados asiáticos fortaleceram seus exercícios militares conjuntos, que cada vez mais contam com ativos estratégicos dos EUA, como porta-aviões, bombardeiros de longo alcance e submarinos nucleares.

Os países também estão aprimorando suas estratégias de dissuasão com Seul em particular buscando garantias mais fortes de Washington de que os Estados Unidos usariam rapidamente e de maneira decisiva suas armas nucleares para defender seu aliado em caso de um ataque nuclear norte-coreano.

Pressão

Em 14 de janeiro, o Norte também testou um novo míssil de alcance intermediário com combustível sólido, destacando seus esforços para avançar em suas armas que poderiam mirar ativos dos EUA no Pacífico, incluindo a base militar de Guam. Há preocupações de que Kim, encorajado pelo constante avanço de seu arsenal nuclear e laços fortalecidos com a Rússia, aumente ainda mais a pressão contra seus rivais em ano de eleições nos Estados Unidos e na Coreia do Sul.

Além dos testes de armas, há também crescentes preocupações no Sul sobre uma provocação direta da Coreia do Norte. No início de janeiro, o Norte disparou centenas de rodadas de artilharia durante três dias consecutivos em águas próximas à disputada fronteira marítima ocidental, levando o Sul a realizar disparos semelhantes em resposta. O incidente não causou vítimas ou danos conhecidos, mas a fronteira marítima foi palco de vários confrontos sangrentos e ataques nos anos anteriores.

Durante um discurso inflamado no parlamento de Pyongyang em 15 de janeiro, Kim declarou que o país estava abandonando seu objetivo de longa data de uma unificação pacífica com a rival Coreia do Sul, ordenando a reescrita da constituição norte-coreana para solidificar o Sul como seu adversário estrangeiro mais hostil. Ele então afirmou que o Norte não tem intenção de evitar a guerra e usaria suas armas nucleares para destruir o Sul se provocado.

Especialistas afirmam que o Norte busca diminuir a voz da Coreia do Sul nos esforços internacionais para resolver o impasse nuclear e, eventualmente, forçar negociações diretas com Washington, buscando consolidar seu status nuclear e negociar o levantamento das sanções lideradas pelos EUA a partir de uma posição de força.

Compartilhar:

  • Data: 30/01/2024 12:01
  • Alterado: 30/01/2024 12:01
  • Autor: Redação
  • Fonte: Estadão Conteúdo









Copyright © 2023 - Portal ABC do ABC - Todos os direitos reservados