São Paulo Política

Rui Falcão diz que ‘caminho está posto’ para Marta voltar ao PT e fechar chapa com Boulos

Após encontro entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Marta nesta manhã, o parlamentar afirmou que a filiação só depende da ex-prefeita

  • Data: 08/01/2024 12:01
  • Alterado: 08/01/2024 12:01
  • Autor: Redação
  • Fonte: Estadão Conteúdo
lula-marta

Presidente Lula e Marta Suplicy

Crédito:Reprodução/Instagram

O deputado federal Rui Falcão (PT-SP) afirmou que o “caminho está posto” para a ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy (sem partido) se filiar ao PT e oficializar a chapa com o deputado federal Guilherme Boulos, pré-candidato pelo PSOL, para a capital paulista.

“Essa decisão (filiação ao PT) vai caber a ela”, declarou Rui Falcão a jornalistas, após a reunião desta segunda-feira, 8, no Palácio do Planalto. Conforme relembrou, há o acordo com Boulos e o PSOL para o PT indicar a vice na chapa. A escolha do partido era de dar preferência a uma mulher na disputa. “Então, o caminho está posto, depende dela (Marta)”, acrescentou.

Marta é secretária de Relações Internacionais da Prefeitura de São Paulo e uma das figuras mais cortejadas para a eleição municipal deste ano. O prefeito Ricardo Nunes (MDB) quer mantê-la ao seu lado, mas o PT tenta trazê-la de volta ao partido para que ela seja vice na chapa com Boulos.

O deputado evitou dar detalhes da conversa, mas confirmou que o objetivo do encontro foi debater a filiação partidária e a formalização da chapa. Rui disse ser melhor conversar com Marta para falar sobre a concretude da filiação, mas esbanjou um sorriso e disse: “Sou sempre otimista”.

Sobre a expectativa de vitória de uma possível chapa com Boulos e Marta, o parlamentar não quis fazer qualquer previsão sobre o assunto. “Hoje, ele (Boulos) lidera as pesquisas, tem uma boa possibilidade, ganhamos eleição na capital com Haddad e Lula”, citou. Mas pontuou ser difícil fazer prognóstico sobre o pleito na capital.

Marta deixou o PT em 2015, poucos meses antes do impeachment da então presidente Dilma Rousseff, e filiou-se ao MDB. Na votação decisiva que retirou Dilma da Presidência da República, Marta, então senadora, votou a favor do processo. Posteriormente, ela seguiu no cargo até fevereiro de 2019. Em 2021, tornou-se secretária do governo Ricardo Nunes.

Compartilhar:

  • Data: 08/01/2024 12:01
  • Alterado: 08/01/2024 12:01
  • Redação
  • Estadão Conteúdo









Copyright © 2023 - Portal ABC do ABC - Todos os direitos reservados