São Paulo Mobilidade

Rodovias concedidas contam com mais de 590 sensores de tráfego

Equipamento é capaz de realizar a contagem e identificação dos veículos, captação de peso por eixo e a velocidade praticada pelos condutores

  • Data: 04/12/2023 10:12
  • Alterado: 04/12/2023 10:12
  • Autor: Redação
  • Fonte: ARTESP
sensores-trafego

Sensor de tráfego na Rodovia Dom Pedro I (SP-065) no km 58+200m

Crédito:ARTESP

A ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), responsável pela gestão das concessionárias que fazem parte do Programa de Concessões Rodoviárias do Estado, busca sempre a eficiência na gestão da malha concedida. Por isso, a Agência estabelece, por meio de seus contratos de concessão, que as empresas implantem ao longo da malha viária Sensores Automáticos de Tráfego (SAT’s). Entre as diversas funções, esses equipamentos realizam o levantamento do volume de tráfego em tempo real que auxilia as operações especiais em feriados prolongados, por exemplo. 

Atualmente, são 597 contadores localizados nos 11,1 mil quilômetros de rodovias no estado, que representam mais de R$ 40 milhões em investimentos. O SAT é uma ferramenta primordial para o controle de tráfego nas rodovias, além de coletar informações que permitem fazer as análises de fluidez e qualidade da operação nas vias, por meio da classificação de nível de serviço estabelecida no Manual do HCM (Estudo de Capacidade Urbana e Rodoviária).

A classificação vai de “A” até “F”, sendo “A” a melhor e “F” a pior. A rodovia é classificada em nível “A” quando possui um fluxo livre, liberdade para manobras e limitada apenas pelas condições de segurança. Já o nível de serviço “F” ocorre quando há um colapso no fluxo de veículos. Ou seja, congestionamentos, com paradas repentinas na faixa de rolamento causados pelo alto volume.

“O investimento em sensores de monitoramento e de computação de dados são essenciais à análise técnica da ARTESP para a modernização e melhorias nas vias. O controle de fluxo de veículos ajuda, por exemplo, nas pesquisas de expectativa de movimento nas rodovias durante feriados, no melhor horário para a realização de obras e na implantação de novos serviços. Ou seja, é essencial para o dia a dia da concessão”, explica Santi Ferri, Diretor de Operações da ARTESP.  

Vale destacar que no caso de locais sem a instalação de equipamentos, como alguns acessos (SPA’s) e interligações (SPI’s), as concessionárias elaboram contagens manuais pelo período de uma semana ao longo de cada semestre, para estimar o volume diário médio de veículos nestes locais.

Compartilhar:

  • Data: 04/12/2023 10:12
  • Alterado: 04/12/2023 10:12
  • Redação
  • ARTESP









Copyright © 2023 - Portal ABC do ABC - Todos os direitos reservados