São Paulo Música

Primeiro dia de Primavera Sound traz diversidade de estilos sob o sol escaldante em Interlagos

O calor não desanimou o público e a distribuição de água gratuitamente ajudou o primeiro dia de Primavera Sound brilhar com The Killers e Pet Shop Boys

  • Data: 03/12/2023 15:12
  • Alterado: 03/12/2023 18:12
  • Autor: Rodilei Morais
  • Fonte: ABCdoABC
23.12.02.PRIMY-1.09

Pet Shop Boys encerrou a noite no Palco Barcelona do Primavera Sound

Crédito:Rodilei Morais/ABCdoABC

O primeiro dia do festival Primavera Sound, em São Paulo, combinou artistas nacionais e internacionais de gêneros musicais distintos em uma mistura de sucesso, mesmo sob o forte calor no Autódromo de Interlagos. Os americanos do The Killers e o duo britânico Pet Shop Boys foram as principais atrações em um dia que teve black midi, The Hives e Cansei de Ser Sexy como destaques.

Slipmami foi uma das primeiras atrações do sábado
Slipmami foi uma das primeiras atrações do sábado (Imagem: Rodilei Morais/ABCdoABC)

A segunda edição da versão brasileira do festival originado em Barcelona, Espanha, começou com o pé direito. Já faziam 25 ºC quando a rapper Slipmami e Getúlio Abelha, cantor que transita do forró à eletrônica, pisaram em seus respectivos palcos. A partir daí, até o final da tarde, a temperatura só aumentou, mas a animação do público acompanhou.

Atingindo uma máxima de 32 ºC por volta das 17h, o calor não deu trégua — mas a organização do festival soube tornar a experiência um pouco mais confortável para quem passou o dia em Interlagos. Em decorrência da morte recente de uma fã em um dos shows da cantora Taylor Swift, no Rio de Janeiro, a produtora T4F — a mesma dos shows da americana — instalou pontos de distribuição gratuita de água por todo o autódromo. Além disso, uma equipe foi alocada para levar a bebida diretamente aos fãs posicionados mais próximos ao palco, que não teriam fácil acessos àqueles postos.

Um sol para cada um

A logística da água foi especialmente vital para a sequência de shows no palco principal do evento. Posicionado de frente para a direção que o sol bate durante todo o dia, os fãs que quiseram assistir a fusão de variantes do rock — e até uma pegada de jazz — dos britânicos do black midi, a loucura de Pelle Almqvist e seus companheiros no The Hives, ou ainda aguardar The Killers no final do dia tiveram que suportar a pior do calor.

OFF! fez um excelente show, mas o horário fez com que poucas pessoas já tivessem chegado no autódromo
OFF! fez um excelente show, mas o horário fez com que poucas pessoas já tivessem chegado no autódromo (Imagem: Rodilei Morais/ABCdoABC)

Estas duas primeiras já valeriam o sufoco. Após um show paralelo no Cine Jóia durante a semana, o black midi já garantiu, praticamente, sua cidadania brasileira. Subindo ao palco ao som de Bonde do Tigrão, com o baterista Morgan Simpson trajando uma regata com a bandeira do Brasil e o guitarrista Cameron Picton uniformizado com uma camisa do Corinthians, a banda despejou sua sonoridade explosiva em um dos melhores shows do dia. No final, Picton e seus companheiros incluíram até o lindo fraseado entoado por Milton Nascimento em Clube da Esquina Nº 2 na jam de encerramento.

A apresentação do black midi foi eleita como uma das melhores do sábado para o ABCdoABC
A apresentação do black midi foi eleita como uma das melhores do sábado para o ABCdoABC (Imagem: Rodilei Morais/ABCdoABC)

Se até Simpson tirou sua regata pelo calor, os suecos do The Hives derreteram em seus ternos cheios de raios — o que não os impediu de entregar uma excelente performance, impulsionada pelos hits Go Right Ahead, Hate to Say I Told You So, e a insanidade do frontman. Girando o microfone, pulando e, por várias vezes, se juntando ao público, a performance de Almqvist somada ao garage rock da “sua nova banda preferida” — nas palavras do vocalista — tornaram o show uma experiência memorável.

The Hives quebrando tudo no palco principal do Primavera Sound
The Hives quebrando tudo no palco principal do Primavera Sound (Imagem: Rodilei Morais/ABCdoABC)

Marisa Monte foi uma das últimas a se apresentar no palco — em um horário de destaque para uma atração nacional, algo pouco comum até recentemente em festivais como este. Emendando hits de sua carreira, a cantora entregou um show mais tranquilo em relação aos dois anteriores no palco, mas impecável em termos de arranjos e técnica. A carioca ainda recebeu Roberto de Carvalho, músico viúvo de Rita Lee, que subiu ao palco para tocar três músicas, incluindo Doce Vampiro e Mania de Você, de sua esposa e ícone da música brasileira.

Marisa Monte foi uma atração nacional de destaque no Primavera Sound
Marisa Monte foi uma atração nacional de destaque no Primavera Sound (Imagem: Rodilei Morais/ABCdoABC)

Experiência e sonoridades alternativas

Os palcos Barcelona e São Paulo receberam atrações com outros tipos de sonoridade ao longo do dia, incluindo a primeira internacional da tarde com o punk rock californiano do OFF! Já experientes, o grupo executa um show direto ao ponto — com os acordes crus, rápidos e as distorções que caracterizam o gênero. Os canadenses do Metric assumiram o palco Barcelona em sequência, liderados por Emily Haines. Em um show dançante, a banda conseguiu cativar até quem não a conhecia, apesar de suas quase três décadas de existência.

Metric apresenta seu indie pop dançante
Metric apresenta seu indie pop dançante (Imagem: Rodilei Morais/ABCdoABC)

A sequência de frontwomen continuou com Cansei de Ser Sexy, banda alternativa que marcou uma geração de espectadores da MTV nos meados dos anos 2000. Após passar por rompimentos e hiatos, o grupo majoritariamente feminino, liderado por Luísa “Lovefoxxx” Matsuhita pegou carona na nostalgia dos fãs e encheu o telão com projeção de memes que, de certa forma, dialogam com as letras, o público e a sonoridade da banda. Ainda que o grupo soe levemente enferrujado — esta foi a primeira reunião da banda desde o Popload Festival de 2019 — a união dos fatores foi capaz de dialogar com fãs que sentiram falta do bom humor e descontração do CSS.

Headliners do Primavera Sound SP

O cair da noite foi acompanhado por dois grandes êxodos dentro do autódromo: o primeiro, em direção aos postes de iluminação que decoravam o palco da dupla inglesa Pet Shop Boys. Ícones de um estilo e de uma época, Neil Tennant e Chris Lowe trouxeram um synthpop inconfundível que embalou o público, principalmente em sucessos como It’s a Sin, West End Girls e o cover Where The Streets Have No Name. Especialmente marcante foi o coro do público no refrão de Domino Dancing, lançada no álbum Introspective, de 1988.

A já clássica dentro de seu gênero, The Killers foi a banda principal da noite, recebendo quase que a totalidade da audiência presente em Interlagos. Com um sólido início de carreira, os naturais de Las Vegas, nos Estados Unidos, apostaram num repertório cheio destas canções que marcaram, também, os mesmos anos de auge do Cansei de Ser Sexy. Evidência disso é a abertura logo com Mr. Brightside, provavelmente o maior sucesso do grupo.

Cansei de Ser Sexy volta aos palcos após quatro anos
Cansei de Ser Sexy volta aos palcos após quatro anos (Imagem: Rodilei Morais/ABCdoABC)

Músicas mais recentes que as do álbum Battle Born, de 2012, foram escassas — e os momentos mais fracos da apresentação. Além disso, a passagem anterior dos americanos no Brasil ainda está fresca na memória dos fãs: a banda foi um dos destaques do lineup da edição de 2022 do GP Week Festival, com um show mais longo e com um repertório mais variado.

O segundo dia do Primavera Sound já está rolando no Autódromo de Interlagos. Os destaques do dia ficam são os britânicos do The Cure, Bad Religion e Beck.

Compartilhar:

  • Data: 03/12/2023 03:12
  • Alterado: 03/12/2023 06:12
  • Rodilei Morais
  • ABCdoABC









Copyright © 2023 - Portal ABC do ABC - Todos os direitos reservados