Museu da Fifa diz que camisa da seleção foi ‘apropriada’ por apoiadores de Bolsonaro

O texto diz que o item foi "apropriado por apoiadores do ex-presidente de extrema direita Jair Bolsonaro".

  • Data: 31/01/2024 17:01
  • Alterado: 31/01/2024 17:01
  • Autor: Luciano Trindade
  • Fonte: FOLHAPRESS
museu-fifa

Crédito:Divulgação

Você está em:

Uma exposição temporária no Museu da Fifa (Federação Internacional de Futebol), em Zurique, na Suíça, exibe duas camisas da seleção brasileira com uma descrição que relaciona o uniforme amarelo à política do Brasil.

O texto diz que o item foi “apropriado por apoiadores do ex-presidente de extrema direita Jair Bolsonaro”. Uma foto da placa com essa descrição circulou na internet nesta quarta-feira (31).

O museu confirmou à Folha de S.Paulo a veracidade da imagem, informou que é temporária a exposição chamada “Designing the Beautiful Game” –que explora como o design tem sido utilizado para desenvolver o futebol ao redor do mundo– e acrescentou que “as descrições dos objetos mencionadas são escritas e aprovadas pelos curadores do Museu da Fifa”.

Sobre a referência ao ex-presidente Jair Bolsonaro, a instituição disse que o associou ao termo “extrema direita” porque é assim que ele é “descrito em diferentes veículos de comunicação brasileiros”.

Ainda de acordo com o museu, as camisas exibidas fazem parte da seção “identidade” da exposição, que mostra como os uniformes, “às vezes, também podem ser usados como parte de outras iniciativas dentro de uma sociedade mais ampla”.

A organização do museu também afirmou que vê a camisa da seleção brasileira “sempre e apenas como o símbolo do pentacampeão mundial e um símbolo do futebol bonito no mundo”.

Procurada pela reportagem, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) afirmou que não vai se manifestar oficialmente sobre o assunto.

As duas camisas da seleção brasileira ficarão expostas no museu da Fifa até 25 de fevereiro. O conjunto é composto por um uniforme branco, utilizado pela equipe em 2019, e outro verde e amarelo, sem nenhuma estrela no peito, usado por Djalma Santos em 1950. Ao lado das duas peças, há texto escrito em inglês, com o título “Cor e significado”.

“Novas gerações e contextos trazem novos significados para a cor. Na Copa América de 2019, a icônica camisa amarelo canarinho do Brasil foi substituída por uma versão comemorativa do histórico uniforme branco e azul do time, que levou o título para casa. Nos últimos anos, o distintivo amarelo e verde do uniforme do Brasil tem se confundido com a política, já que a camisa foi apropriada por apoiadores do ex-presidente de extrema direita Jair Bolsonaro”, diz o texto.

A exposição apresenta ainda fotos, filmes e áudios que mostram a história de como os modelos evoluíram a partir de novas tecnologias.

Compartilhar:

  • Data: 31/01/2024 05:01
  • Alterado: 31/01/2024 05:01
  • Autor: Luciano Trindade
  • Fonte: FOLHAPRESS









Copyright © 2023 - Portal ABC do ABC - Todos os direitos reservados