São Paulo Economia

Energia limpa: OAB SP abre novos editais para construção de usinas solares

Projeto de transição energética da Ordem paulista prevê instalação de 15 usinas em dois anos

  • Data: 06/11/2023 17:11
  • Alterado: 06/11/2023 17:11
  • Autor: Redação
  • Fonte: OAB SP
usinas-solares

Crédito:Divulgação

Em continuação ao projeto de transição energética, a OAB SP (Ordem dos Advogados do Brasil Seção São Paulo) acaba de lançar dois editais para construção de usinas de geração de energia fotovoltaica. O projeto em andamento prevê a instalação de 15 usinas nos próximos dois anos, o que possibilita a mudança da matriz energética nos mais de 500 pontos de atendimento da instituição e uma economia de R$2,25 milhões ao ano.

A OAB SP integra o Pacto Global das Nações Unidas, a maior iniciativa corporativa de sustentabilidade do mundo, e a iniciativa para geração de energia limpa faz parte de um dos pilares da atual gestão da OAB SP, o ESG – sigla em inglês que reúne boas práticas de sustentabilidade ambiental, social e de governança. “O investimento total do projeto é baixo se considerarmos os benefícios em médio prazo. Estimamos um custo de até 12 milhões de reais, com retorno em 5 anos”, destacou o diretor tesoureiro da OAB SP, Alexandre de Sá Domingues.

O edital 02/2023 prevê a contratação de uma empresa especializada em energia fotovoltaica para análise de cinco localidades disponibilizadas pela OAB SP, atendidas pela concessionária Neoenergia Elektro. A empresa deverá indicar o melhor modelo de micro ou miniusina e elaborar o projeto para construção e instalação dos equipamentos.

Nesta etapa, a OAB SP pretende gerar energia limpa para 131 pontos de atendimento espalhados pelo Estado de São Paulo, que consomem, em média, mais de 34.000 kWh/mês. Para isso, deverão ser instaladas 763 placas de geração de energia fotovoltaica em locais indicados pelas Subseções de Nhandeara, Votuporanga, Santa Rita do Passa Quatro, Ilha Solteira e Araras.

Já o edital 03/2023 apresenta as localidades para instalação de usinas solares em duas cidades atendidas pela concessionária ENEL: São Bernardo do Campo e Mauá.

A previsão é que essas usinas produzam energia para outros 40 pontos de atendimento da OAB SP, que consomem, em média, 28.000 kWh/mês. As centrais geradoras vão produzir energia por meio de painéis solares e o excedente será redistribuído para a rede da concessionária, que devolverá os créditos gerados à instituição. Desta forma, todas as Subseções que possuem abastecimento da mesma concessionária terão abatimentos na conta, chegando a pagar apenas a tarifa mínima e sem as oscilações impostas pelas bandeiras sazonais. O Estado de São Paulo é atendido por cinco companhias e, por isso, será necessário construir usinas em regiões diferentes para que todas sejam contempladas.

Os bons resultados da usina-piloto O projeto de transição energética da OAB SP começou em março deste ano, com a construção de uma usina-piloto na colônia de férias da instituição, na cidade de Três Fronteiras, perto da divisa com o Mato Grosso do Sul. Essa instalação contemplou 200 painéis de 550W, que alimentam 75 kW de inversores. Desde o início do seu funcionamento, a usina já gerou mais de 112.000 MWh, uma economia de aproximadamente R$12 mil por mês. “Considerando os dados do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, o valor de emissão de carbono por kWh no Brasil é de 0,5317 kg de CO² por kWh, ou seja, apenas essa usina-piloto proporcionará uma redução de 95 toneladas nas emissões anuais de CO²”, afirmou Alexandre de Sá.

O diretor também destacou que para atingir a meta de 15 usinas instaladas até 2025, a OAB SP conta com o apoio dos dirigentes das Subseções. “Já temos mais de 50 subseções que demonstraram interesse em receber uma usina fotovoltaica e estamos avaliando aquelas localidades que apresentam as melhores condições de espaço e exposição solar para receber uma usina”.

A próxima usina de geração de energia fotovoltaica da OAB SP já está sendo finalizada e vai começar a funcionar ainda este ano na Subseção de Mogi das Cruzes. A previsão é de que a usina de Mogi produza 7.975 kWh/mês, para alimentar a rede de distribuição da concessionária EDP e abastecer 13 pontos de atendimento da OAB SP.

Além das usinas instaladas, seis Subseções da OAB SP possuem geração própria de energia solar: Aguaí, Miracatu, Santa Fé do Sul, Santa Rita do Passa Quatro, Tatuí e Teodoro Sampaio. Nessas localidades, os painéis solares suprem a demanda das Subseções, mas não geram energia para a rede de distribuição.

Compartilhar:

  • Data: 06/11/2023 05:11
  • Alterado: 06/11/2023 05:11
  • Autor: Redação
  • Fonte: OAB SP









Copyright © 2023 - Portal ABC do ABC - Todos os direitos reservados