Brasil - Mundo Saúde

Dicas para lidar com o calor e os sintomas da menopausa

Onda de calor intensa eleva desafios para mulheres na menopausa; médica ginecologista apresenta dicas para aliviar os efeitos dessa fase

  • Data: 14/11/2023 15:11
  • Alterado: 14/11/2023 15:11
  • Autor: Redação
  • Fonte: Instituto GRIS
São Paulo terá um pouco de chuva esta semana

Temperaturas altas

Crédito:Reprodução internet

À medida que uma onda de calor persistente atinge diversas regiões do Brasil, com temperaturas elevadas em até 5ºC, as mulheres na menopausa enfrentam desafios adicionais associados a esse aumento. O fenômeno meteorológico, que é a oitava onda do tipo em 2023, é atribuído a um bloqueio de pressão atmosférica, ao El Niño e às mudanças climáticas, mantendo o país em alerta até a próxima sexta-feira (17).

Você já se perguntou se o clima quente está deixando suas ondas de calor (e outros sintomas) ainda mais intensas? Alexandra Ongaratto, médica ginecologista, especializada em ginecologia endócrina e climatério, e Diretora Técnica do primeiro Centro Clínico Ginecológico do Brasil, o Instituto GRIS, explica sobre uma possível conexão entre o clima quente e o agravamento de alguns sintomas da menopausa.

A médica esclarece que essa relação tem sido objeto de estudo, destacando a influência direta do clima quente na intensificação dos fogachos e no desconforto geral das mulheres nesta fase da vida. Os fogachos, caracterizados por ondas súbitas de calor intenso, são uma queixa comum durante a menopausa.

De acordo com um estudo publicado na revista internacional sobre saúde da meia-idade, Maturitas, o clima quente está associado a intensificação dos sintomas neste período. “Vale ressaltar que pesquisas mais recentes nos mostram que os fogachos podem causar dano neurológico, aumentando risco de demência. Assim, se preocupar com fogachos não é se preocupar com um sintoma desconfortável e ponto, mas sim pensar em qualidade de vida e prevenção”, cita a médica.

Dicas para amenizar os sintomas

Para ajudar as mulheres a lidar com esse desafio, a ginecologista Alexandra recomenda algumas estratégias específicas. Confira!

Vestuário adequado: opte por roupas leves e frescas, preferencialmente feitas de materiais respiráveis como algodão, para auxiliar na regulação da temperatura corporal.
Hidratação constante: mantenha-se bem hidratada, aumentando a ingestão de água para combater a desidratação causada pelo calor excessivo e pelos fogachos.
Refresque-se: utilize métodos de resfriamento, como lenços umedecidos e ventiladores, para aliviar os sintomas de calor repentino.
Atividade física moderada: pratique exercícios físicos leves e regulares, adaptando-se às condições climáticas, para promover o bem-estar geral e reduzir o impacto dos sintomas da menopausa. Caso as atividades sejam ao ar livre, procure horários com menor incidência solar.
Evite alimentos termogênicos: os termogênicos são alimentos que elevam a temperatura corporal e apresentam um aumento expressivo na taxa metabólica, portanto, o consumo de café, pimenta, bebidas energéticas, chá preto, entre outros, podem aumentar a sensação de calor durante o período menopausal.
Consulte um profissional de saúde: caso os sintomas se tornem severos ou disruptivos, é aconselhável buscar orientação médica para avaliação e opções de tratamento personalizadas.

Impactos indiretos

Mudanças climáticas estão vinculadas a impactos na saúde feminina, com a poluição e eventos extremos exercendo efeitos negativos. Produtos químicos ambientais atuam como desreguladores endócrinos, associados à atresia folicular e, inclusive, à antecipação da menopausa. Uma pesquisa publicada na revista científica PLOS ONE revela que esses produtos estão significantemente ligados à menopausa precoce, além de outros sintomas vasomotores e distúrbios do sono em mulheres de meia idade.

Descobertas assim apenas destacam a urgência de abordagens abrangentes para mitigar os efeitos adversos na saúde feminina. À medida que o país enfrenta essa onda de calor, é crucial reconhecer os desafios específicos que as mulheres na menopausa podem enfrentar. “A adoção de estratégias práticas com orientação médica pode ajudar a minimizar o impacto desses sintomas, promovendo uma transição mais tranquila através dessa fase da vida”, ressalta Alexandra.

Compartilhar:

  • Data: 14/11/2023 03:11
  • Alterado: 14/11/2023 03:11
  • Autor: Redação
  • Fonte: Instituto GRIS









Copyright © 2023 - Portal ABC do ABC - Todos os direitos reservados