São Paulo Sociedade

Conheça as mulheres do Governo de SP que hastearam as bandeiras do movimento SP Por Todas

Governo de São Paulo lança ação para dar visibilidade à rede de apoio para atendimento das vítimas de violência

  • Data: 29/03/2024 07:03
  • Alterado: 29/03/2024 07:03
  • Autor: Redação
  • Fonte: Governo de SP
movimento-sp-por-todas

Movimento SP Por Todas

Crédito:Governo de SP

O Governo de São Paulo levou nesta quinta-feira (28) diversas bandeiras do Movimento SP Por Todas a pontos estratégicos da capital paulista. O lançamento oficial da campanha ocorreu no Palácio dos Bandeirantes, onde o governador Tarcísio de Freitas acompanhou o hasteamento na companhia da primeira-dama Cristiane de Freitas.

Também participaram do hasteamento — foram 18 bandeiras no total — a procuradora geral, Inês Coimbra, as secretárias de Políticas para Mulher, Sonaira Fernandes; de Comunicação, Lais Vita; de Cultura, Marília Marton; de Esportes, coronel Helena; e da Semil, Natália Resende; e as secretárias executivas de Desenvolvimento Econômico, Juliana Cardoso; e da Saúde, Priscila Perdicaris.

Um grupo de funcionárias do Governo do Estado também foi escolhido para dar representatividade às mulheres paulistas.

Veja um pouco mais quem são elas:

Maria de Fátima Souza de Oliveira, 70 anos, servidora do Grupo de Relacionamento com a Sociedade, da Casa Civil

Com 20 anos de atuação no Grupo de Relacionamento com a Sociedade, da Casa Civil, Maria de Fátima recebia média de 10 cartas por dia de cidadãos que procuravam ajuda do Governo de São Paulo no começo dos anos 2000. Muitas delas eram de mulheres pedindo ajuda para matricular os filhos ou agendar consulta médica. As cartas foram substituídas por e-mails, mas as demandas seguem as mesmas. Ela afirma que o ato é uma homenagem gratificante a todas as servidoras. “Achei muito interessante o movimento. Esse reconhecimento é muito importante para nós”, afirma.

Rachel Vallego, 38 anos, curadora do Acervo dos palácios do Governo de SP

Com mestrado e doutorado em História da Arte, a curadora do Acervo dos palácios, Rachel Vallego, destaca o protagonismo feminino na coleção de obras de arte da sede do governo paulista, com peças de artistas consagradas como Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Tomie Ohtake e Djanira. Para ela, ações como o SP Por Todas reforçam o simbolismo de uma gestão atenta à pauta das mulheres. “É um grande orgulho fazer parte desse momento. O simbolismo do hasteamento da bandeira, assim como a exposição de obras de arte de artistas mulheres, traz conscientização para conseguirmos conquistar cada vez mais espaço.”

Natalia Risério, 36 anos, coordenadora de Informações Estratégicas, e Benedita Fátima de Lima, 61, assessora técnica

Benedita é funcionária do Palácio dos Bandeirantes há 41 anos e celebra o evento com gratidão, relembrando anos de história no governo. “Me sinto honrada e emocionada por estar presente nesse momento.” Já Natália caminha para uma nova fase, conciliando a carreira profissional de 7 anos na Casa Civil com a maternidade. Mãe de um menino de dois anos chamado Lorenzo, ela aguarda ansiosamente a chegada de uma menina. “Poder dizer que o governo está trabalhando em conjunto com todas as mulheres e olhando para a causa é muito importante”, diz Natália.

Adriana Lisboa Santos, 38 anos, bombeira

A cabo Adriana Lisboa Santos, única bombeira da Casa Militar do Palácio dos Bandeirantes, foi a primeira mulher a ocupar uma vaga no time de bombeiros da sede do governo estadual. Ela atua no heliponto e é responsável pelo trabalho preventivo das decolagens e pousos de aeronaves. “Me espelhei em muitas mulheres. A gente precisa incentivar elas a trabalharem com o que quiserem, porque temos capacidade, é só se dedicar!”, ressalta.

Alessandra Vieira Venceslau, 48 anos, sargento da Defesa Civil

Primeira sargento da Polícia Militar, Alessandra Venceslau atua há 10 anos na Casa Militar. Como integrante da Divisão de Preparação da Coordenadoria de Defesa Civil, cabe a ela e sua equipe o treinamento e capacitação para operações como a Chuvas de Verão e a São Paulo sem fogo. Ela celebra a presença cada vez maior de mulheres na corporação e ressalta a importância do SP Por Todas. “Esse tipo de ação aumenta cada vez a nossa visibilidade. Ter um governo que dá voz às mulheres é essencial”, afirma.

Veruska Marinho, 52 anos, major médica

Major médica da Polícia Militar, Veruska trabalha no ambulatório do Palácio dos Bandeirantes há 3 anos. Ela não esconde a alegria por ter sido escolhida para participar do ato. “É gratificante saber que fui escolhida para representar a área da saúde em nome das outras colegas que trabalham comigo, foi um grande privilégio! O movimento é uma atitude inovadora, e vem a calhar para fechar o mês de comemoração das mulheres “, afirma ela.

Rebeka Dyonee Silva Maciel, 32 anos, diretora do Centro de Material Excedente do Fundo Social

Advogada de formação, Rebeka trabalha no Governo de São Paulo há 9 anos. Ela conta que se sente “privilegiada e orgulhosa” por atuar no Fundo Social. “É uma instituição séria, cujo serviço público beneficia e transforma diretamente inúmeras vidas”, diz. A diretora afirma que se sente honrada por estar participando do São Paulo Por Todas. “É revolucionária toda iniciativa que visa homenagear, reconhecer e afirmar os direitos das mulheres”, afirma.

Renata Mandragon, 58 anos, funcionária do setor de protocolo do Fundo Social

Está há 13 anos no setor de protocolo do Fundo Social de São Paulo, onde começou a trabalhar após uma pausa na carreira de 10 anos. Nesse período, ela teve sua filha, que hoje tem 23 anos. A profissional formada em Administração de Empresas conta que se encontrou na carreira ao trabalhar no serviço público.
“Temos que ser valorizadas. E esse tipo de ação traz conscientização e desperta o valor real que as mulheres têm na sociedade”, diz.

Eunice Dias, 58 anos, copeira do Fundo Social

Eunice está no Palácio dos Bandeirantes há 13 anos, e o seu café faz sucesso entre os funcionários do palácio. “Fico muito orgulhosa de representar mulheres de várias classes e setores de trabalho no hasteamento da bandeira”, afirma.

Josenilda Castro dos Santos, 49 anos, copeira da ala residencial

Começou a trabalhar como copeira no Palácio dos Bandeirantes em 1998. Nos 26 anos trabalhando no Governo de São Paulo, Nilda, como é conhecida, passou por várias gestões, setores e prédios. “Nunca achei que seria escolhida para hastear a bandeira, estou me sentindo muito importante. Fiquei emocionada”, revela.

São Paulo por Todas

São Paulo Por Todas é um movimento promovido pelo Governo do Estado de São Paulo para ampliar a visibilidade das políticas públicas do estado para mulheres, bem como a rede de proteção, acolhimento e autonomia profissional e financeira exclusivamente disponíveis para elas.

Essas frentes estão nos pilares da gestão e incluem novas soluções lançadas neste mês. Um dos destaques é o auxílio-aluguel no valor de R$ 500,00 para vítimas de violência doméstica. Houve ainda ampliação do monitoramento por tornozeleiras para agressores; o lançamento do aplicativo SPMulher Segura que conecta a polícia de forma direta e ágil caso o agressor se aproxime; e a criação de novas salas da Delegacia da Defesa da Mulher 24 horas.

O Governo ampliou linhas de crédito para elas e conclui a entrega as Casas da Mulher Paulista, onde há apoio psicológico e capacitação profissional. Também para formar equipes, implementou o protocolo Não Se Cale para acolhimento imediato em caso de importunação em bares, restaurantes, casas de show e similares, formando equipes em curso gratuito, online e rápido

O último dia útil de março foi escolhido para o lançamento do Movimento justamente para simbolizar a perenidade destas ações muito além de março.

Compartilhar:
1
Crédito:Governo de SP

  • Data: 29/03/2024 07:03
  • Alterado: 29/03/2024 07:03
  • Autor: Redação
  • Fonte: Governo de SP









Copyright © 2023 - Portal ABC do ABC - Todos os direitos reservados