Barroso manda recado sobre decisões monocráticas

O presidente da Corte afirmou que as decisões monocráticas são um "imperativo da realidade"

  • Data: 19/12/2023 13:12
  • Alterado: 19/12/2023 13:12
  • Autor: Paulo Roberto Netto
  • Fonte: UOL/Folhapress
barroso

Ministro Luís Roberto Barroso

Crédito:Valter Campanato/Agência Brasil

Você está em:

O ministro Luís Roberto Barroso encerrou os trabalhos do STF com um recado ao Congresso.

Em balanço de fim de ano, Barroso relembrou que decisões individuais que atinjam diretamente atos de outros Poderes são levadas ao plenário imediatamente. Sobre as demais ações, como em casos de habeas corpus e reclamações, o ministro disse que elas devem ser discutidas pelo colegiado caso sejam “institucionalmente relevantes”.

O presidente do STF apontou que seria impossível discutir tudo no plenário. Segundo dados levantados pela Corte, só neste ano o Supremo recebeu 54 mil recursos, além de 7.000 reclamações e 12 mil habeas corpus. “Seria simplesmente inviável que todas as decisões monocráticas viessem a plenário. Simplesmente não teria como funcionar”, disse Barroso.

A declaração foi feita como um recado ao avanço no Congresso de uma proposta de emenda constitucional sobre as decisões da Corte. O texto barra que atos do Executivo e do Legislativo sejam suspensos por decisões individuais de ministros do Supremo.

Internamente, os ministros avaliaram que o texto não trazia mudanças, uma vez que o próprio STF já tem suas normas sobre as decisões monocráticas.

Mesmo assim, a aprovação da PEC provocou forte reação. Os ministros ficaram menos incomodados com o teor da proposta e mais com o fato de ela ter sido aprovada como uma maneira de o Senado “mandar um recado” ao STF de que a Casa poderia passar outras medidas que atingissem ainda mais o tribunal, como mandatos e a derrubada de decisões.

Decano do STF, Gilmar Mendes afirmou que o texto era “a ressurreição de um cadáver outrora enterrado” e uma solução “casuística”. “É preciso altivez para rechaçar esse tipo de ameaça de maneira muito clara: essa Casa não é composta por covardes. Essa casa não é composta por medrosos”, disse.

Compartilhar:

  • Data: 19/12/2023 01:12
  • Alterado: 19/12/2023 01:12
  • Autor: Paulo Roberto Netto
  • Fonte: UOL/Folhapress









Copyright © 2023 - Portal ABC do ABC - Todos os direitos reservados