Alexandre Correa contesta laudo de perícia feita em Ana Hickmann

Defesa de ex-marido da apresentadora alega que o documento ‘não estaria acordo com as orientações técnicas determinadas pelo Manual de Perícias do CNJ’; assessoria de Ana afirma que ‘exames comprovam o ato violento com lesão’

  • Data: 30/01/2024 15:01
  • Alterado: 30/01/2024 15:01
  • Autor: Redação
  • Fonte: Estadão Conteúdo
ana-hickmann

Ana Hickmann e Alexandre Correa

Crédito:Reprodução

Você está em:

A defesa de Alexandre Correa confirmou que entrou com uma petição para impugnar o laudo pericial feito em Ana Hickmann após ela denunciar o então marido por agressão, que lhe teria causado uma lesão no braço esquerdo de natureza leve. Ainda de acordo com a defesa, o pedido foi feito porque o documento não estaria de acordo com as normas do Manual de Perícias Técnicas Para Magistrados elaborado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

“O laudo da perícia sobre a suposta agressão é nulo de pleno direito, pois não houve clínico da suposta vítima”, afirma o advogado Enio Martins Murad ao Estadão. Na petição, emitida no dia 30 de dezembro de 2023, a defesa de Alexandre alega que o laudo não consta com fotos, exames ou outro tipo de documento que possa provar a lesão.

A defesa diz ainda que a apresentadora não informou ao médico como teria se ferido, o que supostamente não comprovaria o envolvimento de Alexandre, e colocou em dúvida se a lesão foi no braço direito ou esquerdo, o que, segundo a defesa, também não estaria comprovado no laudo.

A petição alega ainda que Ana Hickmann estaria na festa de aniversário do sobrinho “menos de 24 horas depois da suposta agressão”, demonstrando, segundo os advogados, “rápida e surpreendente recuperação”.

Procurada, a assessoria de Ana Hickmann ainda não se pronunciou sobre o caso. O espaço segue aberto.

Relembre o caso

O Estadão teve acesso ao boletim de ocorrência registrado por Ana Hickmann, no qual ela acusa o empresário de agressão física. Segundo seu relato, ela estaria na cozinha de sua casa com Alexandre, o filho e duas funcionárias. Ela teria dito algo ao filho que o marido não teria gostado e foi repreendida, com “ambos aumentando o tom de voz”. A criança teria pedido que parassem de brigar e saído correndo assustada.

“O autor passou a pressionar a vítima contra a parede, bem como a ameaçá-la de agredi-la com uma cabeçada, ocasião em que ela conseguiu afastá-lo e, ao tentar pegar seu telefone celular, que estava em cima de uma mesa na área externa, o autor, repentinamente, fechou a porta de correr da cozinha, o que pressionou o braço esquerdo da vítima”, diz o trecho seguinte do documento policial.

Ana, então, teria conseguido trancá-lo para fora de casa e fez a ligação para a Polícia Militar. Correa teria deixado o local pouco depois. Hickmann buscou atendimento médico no Hospital São Camilo, onde foi constatada uma contusão em seu cotovelo esquerdo. Ainda segundo o BO, ela teve o braço imobilizado com uma tipoia.

“A vítima tomou ciência das medidas protetivas conferidas pela Lei Maria da Penha, porém, neste momento, optou por não requerê-las”, encerra o documento.

Compartilhar:

  • Data: 30/01/2024 03:01
  • Alterado: 30/01/2024 03:01
  • Autor: Redação
  • Fonte: Estadão Conteúdo









Copyright © 2023 - Portal ABC do ABC - Todos os direitos reservados